sexta-feira, 16 de junho de 2017

Cinema Independente Brasileiro







Apresentação

Ao mesmo tempo prolífico e de nicho, o cinema brasileiro vive um paradoxo neste século 21: faz-se muitos filmes no país, mas, em sua maioria, esses títulos são pouco vistos pelo grande público, consequência direta das dificuldades de ocupação de um mercado totalmente dominado pelos blockbusters de Hollywood. O que o espectador está perdendo?


Acima de tudo, uma diversidade enorme de propostas estéticas, muitas destas apresentadas por novas gerações, as primeiras formadas na era do vídeo digital, do streaming e do compartilhamento de longas-metragens via internet. À margem do circuito e na era “pós-industrial”, surgiu um novo e vigoroso cinema independente brasileiro.


Quais são suas características? Suas correntes, seus principais filmes e cineastas? E como estes estão organizados? Além de apresentá-los, este curso pretende refletir sobre como esse novíssimo cinema nacional problematiza a produção de imagens nestes tempos de hiperconectividade, aproximação das linguagens artísticas e bombardeio de informações, sobretudo visuais.


Objetivos

O curso Cinema Independente Brasileiro Hoje, ministrado por Daniel Feix, vai propor uma discussão sobre os caminhos do novo cinema independente do Brasil neste início de século XXI. O acesso às novas tecnologias e a realidade dos compartilhamentos pelas redes promoveram uma revolução no audiovisual brasileiro, gerando propostas inovadoras e vigorosas, em forma e conteúdo. O curso fará uma reflexão sobre este momento do nosso cinema, imerso na explosão de imagens e informações que estimulam novos cineastas e geram novas possibilidades artísticas e estéticas.


Conteúdo programático

1. O que é ser independente no Brasil: o paradoxo do mainstream.

2. Independentes ontem e hoje: dos filmes marginais aos filmes pós-industriais.
- A autoficção, o cinema de um homem só e os filmes sem distribuição;
- Estrada para Ythaca;
- Morro do CéuPacificRiscado e 33.

3. Sensação de realidade: o documentário na ficção.
- A influência de Eduardo Coutinho;
- A subversão a Eduardo Coutinho;
- O Céu sobre os Ombros;
- Terra Deu, Terra Come.

4. Cinema de galeria: a aproximação às outras linguagens.
- Viajo Porque Preciso, Volto Porque te Amo;
- Vídeo digital, cinemascope e internet;
- Sudoeste e As Horas Vulgares.

5. Outra sensação de realidade: o apelo da fantasia.
A Alegria e Girimunho.

6. O público cada vez mais longe.
- Meu Nome É DindiOs Monstros e A Vizinhança do Tigre.

7. Um realismo brasileiro: questões acerca da autenticidade.
- Ela Volta na Quinta; Castanha e Branco Sai, Preto Fica.


Ministrante: Daniel Feix

Jornalista e crítico de cinema. Graduou-se pela PUCRS em 2000 e, desde então, atua em veículos de imprensa de Porto Alegre. Foi editor da revista de cultura “Aplauso” e atualmente é editor e crítico no jornal Zero Hora. Tem artigos publicados em livros como Bernardet 80 (Paco Editorial), Os 100 Melhores Filmes Brasileiros (Letramento) e Os Filmes que Sonhamos (Lume). Cursa mestrado na PUCRS, com pesquisa sobre o realismo nos filmes híbridos brasileiros do século 21. Integra as associações de críticos do RS (ACCIRS) e do Brasil (ABRACCINE).




Curso
Cinema Independente Brasileiro Hoje
de Daniel Feix


Datas
08 e 09 de Julho (sábado e domingo)

Horário
14h às 17h

Duração
2 encontros presenciais (6 horas / aula)

Local
Cinemateca Capitólio
(Rua Demétrio Ribeiro, 1085 - Centro Histórico - Porto Alegre - RS)

Investimento
R$ 85,00
* Desconto para pagamento por depósito ou transferência bancária:
a) R$ 70,00 (primeiras 10 inscrições)
b) R$ 80,00 (demais inscrições)

Formas de pagamento
Depósito bancário / Cartão de Crédito (PagSeguro)

Material
Certificado de participação

Informações
cineum@cineum.com.br / Fone: (51) 99320-2714


Realização






INSTRUÇÕES PARA EFETUAR A INSCRIÇÃO

1) Preencha e envie o formulário abaixo.
2) Pagamento por Depósito Bancário: após enviar o formulário você receberá as orientações.
3) Pagamento por Cartão de Crédito: após enviar o formulário, clique no botão do PagSeguro.
.
.


.
.
.

sábado, 3 de junho de 2017

Micro Vídeos







Apresentação

Sejam produzidos por corporações ou por usuários, os micro vídeos vêm ganhando cada vez mais popularidade. Ao serem filmadas e compartilhadas em rede, as experiências da nova audiência deixam de ser isoladas e ganham um aspecto social. Mas ao invés de grandes produções cinematográficas, é a proximidade com a vida real que ganha destaque; ao invés de profissionais do vídeo, é o próprio público quem produz e circula o conteúdo; e ao invés de formatos longos, a preferência é pelos micro vídeos de consumo rápido.


Em função disso, esses “vídeos sociais” – produzidos e consumidos via celular – integram-se naturalmente à conversação online e ganham destaque em plataformas como SnapChat, Instagram, Musical.ly, YouNow, Periscope, e até o próprio Facebook, estabelecendo novas formas de narrativa e novas linguagens que ganham cada vez mais destaque nas mídias sociais.


Objetivos

O curso Micro Vídeos & Redes Sociais: Novas narrativas e linguagens, ministrado por Sheron Neves, visa capacitar os participantes a compreender os novos formatos e linguagens de conteúdo de vídeo surgidos com a convergência digital e a popularização dos dispositivos móveis, assim como produzir projetos audiovisuais que dialoguem com estas novas tendências digitais.


A quem se destina

Estudantes e profissionais de comunicação, marketing digital, fotógrafos, jornalistas, relações públicas, videomakers, redatores, assim como interessados em geral em cultura digital, new media e conteúdo para redes sociais.


Metodologia

Exposições dialogadas/exemplificadas e atividades práticas individuais e/ou em grupo.


Importante

É recomendado (porém não é obrigatório) trazer dispositivos móveis (smartphone/tablet) para realização de exercícios práticos em aula. Acessórios como tripés, lentes, pau de selfie, filtros, etc, também são opcionais.


Conteúdo programático

- O crescimento dos Micro Vídeos.
- Conteúdo audiovisual para as mídias sociais.
- O que são Vídeos Sociais?
- Novos formatos, linguagens e plataformas.
- A importância do conteúdo colaborativo.
- Principais desafios do novo mercado audiovisual.
- Exemplos de soluções práticas e de baixo custo para as novas mídias.
- Atividade prática: como criar e editar vídeos curtos no seu celular.


Ministrante: Sheron Neves
Publicitária formada pela PUCRS, onde cursa também Doutorado em Comunicação. Possui Mestrado em Media Studies pela Birkbeck, University of London. Leciona nas instituições ESPM-Sul, UNIFIN e PUCRS. Possui vinte anos de experiência em marketing e comunicação, incluindo empresas como Grupo RBS, Grendene e Dell. Áreas de pesquisa incluem TV, convergência, fandom, marketing, storytelling, transmídia e audiovisual na cultura participativa. É também editora do blog Meditation in an Emergency. Já ministrou os cursos “HBO – A TV que não diz que é TV” e “Narrativas Seriadas” pela Cine UM.



Curso
Micro Vídeos & Redes Sociais:
Novas narrativas e linguagens
de Sheron Neves


Datas
24 e 25 de Junho (sábado e domingo)

Horário
14h às 17h

Duração
2 encontros presenciais (6 horas / aula)

Local
Cinemateca Capitólio
(Rua Demétrio Ribeiro, 1085 - Centro Histórico - Porto Alegre - RS)

Investimento
R$ 85,00
* Desconto para pagamento por depósito bancário:
a) R$ 70,00 (primeiras 10 inscrições) ** Valor promocional esgotado
b) R$ 80,00 (demais inscrições)

Formas de pagamento
Depósito bancário / Cartão de Crédito (PagSeguro)

Material
Certificado de participação

Informações
cineum@cineum.com.br / Fone: (51) 99320-2714


Realização





INSTRUÇÕES PARA EFETUAR A INSCRIÇÃO

1) Preencha e envie o formulário abaixo.
2) Pagamento por Depósito Bancário: após enviar o formulário você receberá as orientações.
3) Pagamento por Cartão de Crédito: após enviar o formulário, clique no botão do PagSeguro.
.
.

.
.
.

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Pedro Almodóvar







* Edição Porto Alegre *


Apresentação

Pedro Almodóvar é o cineasta espanhol de maior renome mundial atualmente. Sua filmografia é repleta de filmes onde a presença feminina é o ponto principal das tramas. Cores berrantes, personagens loucos, e a política espanhola também são destaques em seus roteiros. Suas narrativas, de modo geral, são bem humoradas e sem pretensões de se levar a sério.


Para Almodóvar seus filmes são tão autobiográficos quanto poderiam ser. Suas experiências de vida são suas fontes de inspiração, e a temática da sexualidade é abordada de maneira bastante aberta em vários filmes. Hoje, o diretor é tão conhecido quanto o conterrâneo Luis Buñuel, cineasta cuja obra se assemelha muito ao estilo de Almodóvar.

Pedro Almodóvar nunca pôde estudar cinema, pois nem ele nem sua família tinham dinheiro para pagar seus estudos. Antes de dirigir filmes foi funcionário da companhia telefônica estatal; desenhou histórias em quadrinhos; foi ator de teatro de vanguarda e cantor de uma banda de rock, na qual participava travestido. Foi o primeiro espanhol a ser indicado ao Oscar de melhor realizador.


Objetivos

O Curso TODAS AS CORES DE PEDRO ALMODÓVAR, ministrado por Josmar Reyes, vai tratar da filmografia de Pedro Almodóvar, abordando aspectos estruturais e narrativos (estrutura espacial e temporal, personagens, gênero, estrutura sonora e musical); técnicos; temáticos e estéticos, bem como particularidades da carreira do cineasta e a crítica em torno de seus filmes. Para tanto, durante as aulas serão apresentados fragmentos de seus filmes e textos que tratam de sua obra.


Público alvo

Esta atividade é aberta e dirigida ao público em geral.
Não é necessário nenhum pré-requisito de formação e/ou atuação profissional.




Conteúdo programático

Aula 1
- Os Filmes: Sinopse ilustrativa resgatando o conteúdo de cada filme;
- As Musas: Carmen Maura, Victoria Abril, Marisa Paredes, Cecilia Roth e Penélope Cruz;
- A Cidade: Madri como cenário e personagem;
- As histórias e temas recorrentes;
- Estrutura narrativa: Segredos, mistérios e suspense.



Aula 2
- Estética almodovariana: O kitsch, figurinos e cenografia;
- Questões de gênero: O melodrama e o suspense;
- Referências culturais e cinematográficas;
- Análise da abertura dos filmes: Créditos iniciais;
- Trilhas musicais;
- Aspectos técnicos: Planos montagem e movimentos de câmera.


Ministrante: Josmar Reyes

Doutor em Ciências da Comunicação e da Informação, Novas Tecnologias e Artes do Espetáculo (Université de Paris III - Sorbonne Nouvelle). Professor do Curso de Realização Audiovisual (Unisinos) e do Curso de Comunicação Social (UNISC). Licenciado em Letras / Português - Francês (UFRGS) e Mestre em Estudos Francófonos (UFRGS). Já ministrou os cursos “Desconstruindo Woody Allen” e “Nouvelle Vague do Cinema Coreano” pela Cine UM.



Curso
Todas as Cores de Pedro Almodóvar
* Edição Porto Alegre *
de Josmar Reyes


Datas
10 e 11 de Junho (sábado e domingo)

Horário
14h às 17h

Duração
2 encontros presenciais (6 horas / aula)

Local
Cinemateca Capitólio
(Rua Demétrio Ribeiro, 1085 - Centro Histórico - Porto Alegre - RS)

Investimento
R$ 85,00
* Desconto para pagamento por depósito bancário:
a) R$ 70,00 (primeiras 10 inscrições) / * Valor promocional esgotado *
b) R$ 80,00 (demais inscrições)

Formas de pagamento
Depósito bancário / Cartão de Crédito (PagSeguro)

Material
Certificado de participação e Apostila (arquivo em PDF)

Informações
cineum@cineum.com.br / Fone: (51) 99320-2714


Realização




INSTRUÇÕES PARA EFETUAR A INSCRIÇÃO

1) Preencha e envie o formulário abaixo.
2) Pagamento por Depósito Bancário: após enviar o formulário você receberá as orientações.
3) Pagamento por Cartão de Crédito: após enviar o formulário, clique no botão do PagSeguro.
.
.


.
.

quarta-feira, 3 de maio de 2017

Horror Brasileiro - CX






* Edição CAXIAS DO SUL *

Apresentação

O horror, um gênero que durante muito tempo foi ignorado e pouco debatido no cinema brasileiro, nos últimos anos tem se fortalecido com diversas produções que abordam o tema das mais variadas formas. Filmes como Trabalhar Cansa, Quando Eu Era Vivo, Gata Velha Ainda Mia, Isolados, Através da Sombra, Mate-me por Favor, O Caseiro e O Rastro chegaram às telas mostrando a força e relevância do gênero no cinema atual. Produções independentes como Nervo Craniano Zero (Paulo Biscaia Filho), Fábulas Negras (Rodrigo Aragão e outros), Condado Macabro (Marcos DeBrito e André de Campos Mello) e O Diabo Mora Aqui (Dante Vescio e Rodrigo Gasparini) renovam o sangue e apontam caminhos alternativos para serem trilhados pelo gênero.


Entretanto, o horror sempre esteve presente no cinema brasileiro, mesmo que de maneira alegórica e vaga. Comédias assombradas, como O Jovem Tataravô (1936) e Fantasma por Acaso (1946), mostram como o tema era tratado na época das chanchadas. Lendas populares e personagens de nosso rico folclore também chegaram às telas com sombras horroríficas, incluindo o saci, o caipora, a mula-sem-cabeça e diversos lobisomens. O impacto do cinema ousado e destemido de José Mojica Marins com seu ímpio e sádico personagem Zé do Caixão, refletiu nas significativas bilheterias de filmes como À Meia-Noite Levarei Sua Alma (1964) e Esta Noite Encarnarei no Teu Cadáver (1967) e influenciou outras gerações de realizadores a trilhar o caminho do cinema revoltado e inquieto. Até mesmo o popular cômico Mazzaropi abordou a confusão religiosa típica do brasileiro em comédias nas quais reflete de maneira simplória, porém sincera, sobre temas como fé, charlatanismo, morte e reencarnação.


Entre os outros cineastas que se dedicaram de maneira representativa ao horror estão Walter Hugo Khouri, autor de obras densas, e o argentino Carlos Hugo Christensen, que teve produção prolífica em toda a América do Sul e se radicou no Brasil na segunda metade de sua carreira, também contribuiu com o imaginário do horror nacional. A ‘Boca do Lixo’ paulistana também é devidamente representada pelos surpreendentes filmes de erotismo mórbido de Jean Garrett, os quais, a despeito dos títulos genéricos, são hipnotizantes mergulhos no universo fantástico. As obras de John Doo, David Cardoso, Ody Fraga e Fauzi Mansur, com sua acintosa sexualidade combinada com cenas violentas, grotescas e macabras, também marcaram o gênero.


O ‘terrir’ de Ivan Cardoso (O Segredo da Múmia, As Sete Vampiras, Um Lobisomem na Amazônia), dramatizações sobre assassinos psicopatas e produções de sexo explícito com vampiros, demônios e fantasmas dividem espaço na discussão com realizações recentes, com filmes surreais e experimentais como O Fim da Picada, A Misteriosa Morte de Pérola, Todas as Cores da Noite e Clarisse ou Alguma Coisa Sobre Nós Dois, todos contribuindo à sua maneira particular com o imaginário do filme brasileiro de horror.


Objetivos

O curso HORROR NO CINEMA BRASILEIRO, ministrado por Carlos Primati, pretende promover uma discussão sobre o panorama do gênero no Brasil, mostrar e contextualizar tanto as obras consagradas quanto filmes mais obscuros e desconhecidos, e apresentar um apanhado das realizações recentes, colocando em perspectiva o que pode indicar o futuro do gênero no cinema brasileiro.


Conteúdo programático

Aula 1

- Como assim, “horror no cinema brasileiro”?
- Chanchadas do além: O Jovem Tataravô e outros fantasmas
- A era dourada dos estúdios: melodramas góticos e co-produções
- Zé do Caixão: terror e sadismo nacional sem fronteiras
- Experimentalismo udigrúdi: Sganzerla, Bressane e Visconti

Aula 2

- Espíritos inquietos: o vazio existencial de Walter Hugo Khouri
- Possuído pelo mal: o medo barroco de Carlos Hugo Christensen
- Erotismo e morte: Jean Garrett, John Doo, David Cardoso e Ody Fraga
- Terrir: os monstros irreverentes de Ivan Cardoso
- As produções independentes e o futuro do gênero


Ministrante: Carlos Primati
Jornalista, crítico, historiador e pesquisador dedicado a tudo que se refere ao cinema de horror mundial e brasileiro. Publicou artigos em livros sobre a obra do cineasta José Mojica Marins e sobre o Horror no cinema brasileiro. Colaborou no livro "Maldito", de André Barcinski e Ivan Finotti, e coproduziu a Coleção "Zé do Caixão" em DVD, vencedora do 1º Prêmio DVD Brasil como a "Melhor Coleção" do ano. Já ministrou para a Cine UM os cursos "A Obra de Alfred Hitchcock"; "História do Cinema de Horror"; "Zé do Caixão: 50 Anos de Terror"; "Ficção Científica dos Anos 50" e "Expressionismo Alemão: Uma Sinfonia de Luzes e Sombras".




Curso
Horror no Cinema Brasileiro
de Carlos Primati

* Edição CAXIAS DO SUL *

Data
03 / Junho (sábado)

Horário
Aula 1: 9h30 às 12h30
Aula 2: 14h às 17h

Duração
2 encontros presenciais (6 horas / aula)

Local
Sala de Cinema Ulysses Geremia
Centro Municipal de Cultura Dr. Henrique Ordovás Filho
Rua Luiz Antunes, 312 - Caxias do Sul - RS

Investimento
R$ 65,00
* Desconto para pagamento por depósito bancário:
a) R$ 50,00 (para as primeiras 10 inscrições)
b) R$ 60,00 (demais inscrições)

Formas de pagamento
Depósito bancário / Cartão de Crédito (PagSeguro - em 2x)

Material
Certificado de participação e Apostila (arquivo em PDF)

Informações
cineum@cineum.com.br / Fone: (51) 99320-2714

Realização
Unidade de Cinema e Vídeo
Secretaria Municipal da Cultura de Caxias do Sul



INSTRUÇÕES PARA EFETUAR A INSCRIÇÃO

1) Preencha e envie o formulário abaixo.
2) Pagamento por Depósito Bancário: após enviar o formulário você receberá as orientações.
3) Pagamento por Cartão de Crédito: após enviar o formulário, clique no botão do PagSeguro.
.
.