quinta-feira, 15 de julho de 2021

Woody Allen





Apresentação


Cineasta, roteirista, escritor, ator e músico, Allan Stewart Konigsberg, é o diretor de cinema mais identificado com Nova Iorque, a metrópole onde nasceu e desenvolveu sua carreira. Homem das letras e do Jazz, de humor refinado e sarcástico, Woody Allen construiu uma sólida e extensa filmografia. Hoje ocupa na indústria uma posição privilegiada para um cineasta já está prestes a completar 80 anos. Com prestígio inabalável, ainda que não seja exatamente um campeão de bilheterias, o cineasta mantém uma impressionante marca de produção: realiza em média um filme por ano há mais de três décadas.



Woody Allen começou a trabalhar como redator de comédia e humor na década de 50, inicialmente para a televisão e o teatro. Na virada da década venceu sua reconhecida timidez e encarou o palco atuando em antológicas apresentações solo de comédia stand up. Logo foi reconhecido por seu talento peculiar que unia humor, crítica e ironia em piadas impagáveis. Em rápido destaque na indústria do entretenimento, Allen logo foi convidado para escrever também para o cinema. Iniciou então uma carreira de roteirista, cujo primeiro trabalho foi o longa-metragem O Que é Que Há, Gatinha? de 1965. Já no ano seguinte estreia como diretor com a comédia What's Up, Tiger Lily?, que no Brasil recebeu o título de O Que Há, Tigresa?. A partir destas duas experiências Woody Allen passa a se dedicar quase que exclusivamente para o cinema.

Desde então foram mais de 50 longas-metragens como diretor, roteirista e ator. Em 1977 recebe a consagração da Academia ao receber quatro prêmios Oscar (Filme, Roteiro, Direção e Atriz) pela comédia Noivo Neurótico, Noiva Nervosa (Annie Hall). Woody Allen já foi indicado mais de 20 vezes para a maior premiação do cinema norte-americano. Destas indicações, 16 delas foram para o Oscar de Melhor Roteiro, um recorde na categoria. No entanto, apesar de toda esta atenção da Academia para seu trabalho, Woody Allen mantém uma distância regulamentar de Hollywood. Ao invés de comparecer à cerimônias de entrega do Oscar, Allen prefere ir tocar clarinete com seu grupo de Jazz no Bar Carlyle de Nova Iorque.

Woody Allen segundo Woody Allen:

 "As pessoas sempre se enganam em duas coisas sobre mim: pensam que sou um intelectual, porque uso óculos, e que sou um artista, porque meus filmes sempre perdem dinheiro".



Objetivos

O Curso online Desconstruindo Woody Allen, ministrado por Josmar Reyes, vai explorar a filmografia do realizador a partir de um olhar analítico sobre sua obra. O curso ressaltará os aspectos narrativos, estéticos e técnicos, bem como as particularidades da carreira do diretor e suas influências artísticas. Serão abordados também os temas recorrentes em seus filmes, assim como curiosidades relativas à produção de seus filmes.



Não é necessário nenhum pré-requisito para frequentar esta atividade.
O curso é aberto a todos os interessados.


Conteúdos

- O início da carreira
- A consagração de Annie Hall e Manhattan
- Da comédia ao drama
- Cinema e Psicanálise: as neuroses de um cineasta
- As principais influências: Bergman, Truffaut e Fellini
- Experiências fora dos EUA




Ministrante: Josmar Reyes

Doutor em Ciências da Comunicação e da Informação, Novas Tecnologias e Artes do Espetáculo (Université de Paris III - Sorbonne Nouvelle). Professor do Curso de Realização Audiovisual (Unisinos). Licenciado em Letras / Português - Francês (UFRGS), Mestre em Estudos Francófonos (UFRGS) e Pós-doutorando em Cinema Coreano. Já ministrou os cursos “Todas as Cores de Pedro Almodóvar” e “Nouvelle Vague do Cinema Coreano” pela Cine UM.


Curso online
DESCONSTRUINDO WOODY ALLEN
de Josmar Reyes


Datas
07 e 08 / Agosto
(sábado e domingo)

Horário
Aula 1: 14h às 16h30
Aula 2: 15h às 17h30

Duração
2 encontros online
(carga horária: 5 horas / aula)

Material
Certificado de participação


Investimento
R$ 90,00 (parcelado em até 12x)

..PROMOÇÃO..
Valor Especial para as primeiras 10 inscrições c/ 20% de desconto:
Apenas R$ 70,00


Informações
cineum@cineum.com.br / Fone: (51) 99320-2714






Realização






quarta-feira, 7 de julho de 2021

Arquitetura do Cinema

 





Apresentação


Cinema e Arquitetura são formas artísticas e práticas espaciais que constroem o espaço. Ao analisar o desenvolvimento espacial de uma determinada obra do cinema, inevitavelmente esbarra-se na relação tempo-espaço e na percepção arquitetônica e/ou urbanística da cenografia.


Acompanhando a história do seu desenvolvimento, vemos que o cinema, enquanto meio de produção do espaço, sempre definiu a si mesmo tanto como uma prática arquitetônica, quanto como uma prática urbana, constantemente reinventando o espaço.

Paralelamente aos aspectos físico-espaciais de um filme, entram em cena também dois outros elementos artísticos fundamentais e definidores da "visão de mundo" proposta pelos realizadores. Além dos espaços e da arquitetura em si, existem ainda os objetos de cena (e suas funções) e as cores (e seus significados), definidos pelas escolhas da cenografia e da direção de arte. Todo este tecido de elementos estáticos, sempre - ou tanto quanto possível - são variáveis definidoras do resultado final do que chamamos de "a cara de um filme".


Objetivos

O Curso online A Arquitetura do Cinema, ministrado por Paulo Leônidas, se propõe a analisar o cinema e a sua arquitetura através das suas formas básicas de expressão do espaço. As aulas abordarão estudos minuciosos de muitas obras cinematográficas importantes através de desenhos de filmagens, plantas baixas, cortes e perspectivas da arquitetura destes filmes, visando a qualificação de profissionais e interessados em geral nesta área do conhecimento.


Público alvo
Esta atividade é aberta a todos os públicos. Não há nenhum pré-requisito de formação e/ou atuação profissional.



Conteúdos


Aula 1

Introdução teórica / Visão geral
Abordagem da relação entre Cinema e Arquitetura.

Diálogo através do espaço real
Um cinema sem cenários. Sombras e perspectivas. Movimentos de câmera e enquadramentos. A realidade estilizada. O cinema que manipula a arquitetura.
Filmes referência

* O Realismo Italiano - "Roma, Cidade Aberta" (Roberto Rossellini, 1945) / "Ladrões de Bicicletas" (Vittorio De Sica, 1948)
* A Nouvelle Vague de Godard - "O Desprezo" (Jean-Luc Godard, 1963)
* O Cinema Novo - "Deus e o Diabo na Terra do Sol" (Glauber Rocha, 1964)
* Museu Gugenheim - "Trama Internacional" (Tom Tykwer, 2000)
* A cidade icônica - "Ensaio Sobre a Cegueira" (Fernando Meirelles, 2008)
* Le Corbusier (arquiteto) - "O Homem ao Lado" (Gaston Duprat e Mariano Cohn, 2011)



Aula 2

O diálogo através do cenário
A construção de cenários. Estúdios fechados. Iluminação e condições climáticas. Locações e ambientes reais.


Filmes referência

* O Expressionismo Alemão - "O Gabinete do Dr. Caligari" (Robert Wiene, 1920)
* A maestria de Hitchcock - "Janela Indiscreta" (Alfred Hitchcock, 1954)
* A paisagem urbana de Tati - "Playtime - Tempo de Diversão" (Jacques Tati, 1967)
* A herança do Dogma - "Dogville" (Lars Von Triers, 2003)


O diálogo através da visão distópica
O cinema pós-moderno da era pós-industrial. A visão de futuro das cidade. As interferências da arquitetura no cinema. A sociedade cibernética e seus estilos arquitetônicos. A cidade opressora. A cidade onipresente.


Filmes referência

* A invenção - "Metrópolis" (Fritz Lang, 1927)
* Um mundo à parte - "Star Wars" (George Lucas, 1977)
* O sentimento futurista - "Blade Runner - O Caçador de Andróides" (Ridley Scott, 1982)
* Um futuro próximo - "Gattaca - A Experiência Genética" (Andrew Niccol, 1997)
* Futuro do pretérito - "O Quinto Elemento" (Jean-Luc Besson, 1997)


Ministrante: Paulo Leônidas
Graduado em Arquitetura (UFRGS). Pós-graduado em Arquitetura (PROPAR / UFRGS / Architectural Association School of Architecture - Londres). Mestrado em Arquitetura (PROPAR / UFRGS). Professor visitante na Escola de Arquitetura / Universidade de Varsóvia (Polônia) e na Architectural Association School of Architecture - Londres.
Conferencista, cenógrafo, cineasta, escritor e roteirista de cinema e séries de TV. Lançou os livros "Romeu e Julieta 1844" (romance, 2015) e "DezMiolados" (coletânea de autores, 2019). É autor de inúmeros artigos e textos  acadêmicos.


Curso online
A ARQUITETURA DO CINEMA
de Paulo Leônidas


Datas
24 e 25 / Julho
(sábado e domingo)

Horário
14h às 16h30

Duração
2 encontros online
(carga horária: 5 horas / aula)

Material
Apostila
Certificado de participação


Investimento
R$ 85,00 (parcelado em até 12x)

..PROMOÇÃO..
Valor Especial para as primeiras 10 inscrições c/ 18% de desconto:
Apenas R$ 70,00
*** Esgotado ***


Informações
cineum@cineum.com.br / Fone: (51) 99320-2714






Realização

quinta-feira, 10 de junho de 2021

LGBTI+ Queer

 




Dissidências sexuais e de gênero nos cinemas 
latino-americanos contemporâneos

Apresentação

Desde o início do século XXI acompanhamos a emergência de novos e diversos "enquadramentos" (BUTLER, 1993/2004) das dissidências sexuais e de gênero no cinema latino-americano, que culminou com o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro para Uma Mulher Fantástica (2017), de Sebastián Lelio.


Prenunciado pelo sucesso crescente de produções latino-americanas em certames cinematográficos dedicados à diversidade sexual e de gênero, como o Teddy Award, do Festival Internacional de Berlim, que nesse período foi concedido a produções do México (2003 e 2009), Argentina (2005, 2011 e 2019), Brasil (2014 e 2018) e Chile (2017).

Tais reconfigurações narrativas e estéticas transitam do âmbito das questões e políticas identitárias ao campo do artivismo audiovisual Queer-Cuir em consonância com seus respectivos contextos - socioculturais e de produção - nacionais. No âmbito dessas perspectivas territorialmente situadas, a maioria das produções faz eco às discussões e às ações ativistas em prol de direitos civis e do enfrentamento aos preconceitos e às violências, mas também emergem questionamentos ao assimilacionismo cisheteronormativo hegemônico.


Objetivos

O Curso online O CINEMA LGBTI+ E O QUEER NA AMÉRICA LATINA, ministrado pela Drª Rosângela Fachel de Medeiros, tem a proposta de abordar e discutir essas duas perspectivas, LGBTI+ e Queer-Cuir, por meio de uma cartografia de produções cinematográficas emblemáticas na abordagem das dissidências sexual e de gênero, na região - América Latina e Caribe, buscando desvelar tanto os repertórios recorrentes quanto os insurgentes.

Conteúdos

- Contextualização territorial da cartografia fílmica e abordagem teórico-crítica.

- Reflexão acerca das noções de cinema gay, lésbico, trans* e queer/cuir.

- Países de maior produção cinematográfica regional: México, Brasil e Argentina. E mais: América Latina e Caribe.

Repertórios estético-narrativos recorrentes e insurgentes acerca das dissidências sexual e de gênero, obras e realizadores em destaque.


Filmes de referencia

Madame Satã (Brasil. 2002)

Mil Nubes de Paz Cercan el Cielo, Amor, Jamás Acabarás de Ser Amor (México, 2003)

Un Año Sin Amor (Argentina, 2005)

Rabioso Sol, Rabioso Cielo (México, 2009)

Ausente (Argentina, 2011)

Tatuagem (Brasil, 2013)

Hoje Eu Quero Voltar Sozinho (Brasil, 2014)

Mãe Só Há Uma (Brasil, 2016)

Antes o Tempo Não Acabava (Brasil, 2016)

Uma Mulher Fantástica (Chile, 2017)

As Boas Maneiras (Brasil, 2018)

Tinta Bruta (Brasil, 2018)

Breve História del Planeta Verde (Argentina, 2019)


Ministrante: Drª Rosângela Fachel de Medeiros

Possui graduação em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), e mestrado e doutorado em Literatura Comparada pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS/CAPES). Atualmente, é professora voluntária do Mestrado em Artes Visuais da Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Integra vários grupos latino-americanos de pesquisa no campo do Audiovisual.

Idealizadora e codiretora do "Festival Internacional de Videoarte SPMAV" (UFPel) e coidealizadora e codiretora da "Mostra de Cinema Latino-americano de Rio Grande" (IFRS - Campus de Rio Grande) e do "Festival Internacional de Videodança – FIVRS" (UFPel/ECARTA). Atua como colaboradora no "Fantaspoa - Festival de Cinema Fantástico de Porto Alegre".

Seus atuais temas de investigação e de atuação acadêmica estão relacionados às audiovisualidades latino-americanas contemporâneas, especialmente, em relação aos enquadramentos de corporalidades, sexualidades e gênero.

Curso online
O CINEMA LGBTI+ E O QUEER 
NA AMÉRICA LATINA
de Rosângela Fachel de Medeiros


Datas
26 e 27 / Junho
(sábado e domingo)

Horário
14h às 16h30

Duração
2 encontros online
(carga horária: 5 horas / aula)

Material
Certificado de participação


Investimento
R$ 85,00 (parcelado em até 12x)

..PROMOÇÃO..
Valor Especial para as primeiras 10 inscrições c/ 18% de desconto:
Apenas R$ 70,00
*** Esgotado ***


Informações
cineum@cineum.com.br / Fone: (51) 99320-2714






Realização





terça-feira, 1 de junho de 2021

Giallo




NOVAS DATAS

10 e 11 de Julho


Produto cinematográfico italiano por excelência, o Giallo viveu seu auge entre as décadas de 60 e 80. O nome vem por influência das publicações populares de suspense surgidas no final dos anos 20 – os pulps – com histórias policiais de crimes de sangue e assassinos seriais. A característica marcante destas publicações era o uso da cor amarela (“giallo” em italiano) de forma destacada nas capas.



A maioria dos filmes Giallo se assemelha nas tramas. Invariavelmente retratam um assassino que geralmente só é mostrado e descoberto no final. Durante os filmes vemos apenas suas mãos vestidas com luvas pretas de couro e uso preferencial de facas como armas dos crimes. As vítimas são principalmente as mulheres, sempre com cenas de perseguição, exposição de corpos total ou parcialmente nus e sangue, muito sangue. O Giallo, muito importante para a revitalização do gênero Terror, foi escola para vários realizadores italianos que fizeram suas estreias - e eventualmente a carreira - com este gênero cult de grande apelo popular.

A história de um dos subgêneros mais fascinantes do cinema popular da Itália começou com A Garota Que Sabia Demais (1963), de Mario Bava, e se prolonga até hoje, como neo-giallo, com filmes como a produção francesa A Estranha Cor das Lágrimas do Seu Corpo (2013) dirigido pela dupla Hélène Cattet e Bruno Forzani.




Objetivos

O Curso online Giallo: suspense à italiana, ministrado por Fernando Brito, vai apresentar as origens do gênero, suas características visuais e temáticas. A partir da apreciação crítica de trechos dos gialli de grandes diretores do gênero como Mario Bava, Dario Argento, Lucio Fulci e Sergio Martino, serão analisados os principais elementos do gênero, como o voyeurismo, o ponto de vista do assassino, a transformação da morte em espetáculo estético, a exploração da violência, o barroquismo visual, as tramas mirabolantes, o psicologismo, o erotismo apelativo e a misoginia, a vitimização da mulher e a associação entre sexo e morte. Por fim, a influência do giallo na gênese do slasher norte-americano.



Conteúdos

 As raízes do giallo no krimi alemão

Mario Bava e a gênese do giallo

Os sexy gialli de Umberto Lenzi e cia.

Pelos olhos do assassino: Dario Argento

O ápice do giallo e Lucio Fulci

Sergio Martino: morbidez, erotismo e psicologia

A morte do giallo

O nascimento do slasher e neo-giallo



Ministrante: Fernando Brito

Doutor em Literatura Inglesa pela Universidade de São Paulo, com especialização em romance gótico. Pesquisador e crítico de cinema, tendo colaborado ao longo de sua carreira com diversas publicações, como a Sci-Fi News Cinema e o Jornal do Vídeo.

Desde 2002, trabalha como curador na Versátil Home Video, onde idealizou e supervisionou o lançamento de muitos clássicos Giallo e vários títulos da filmografia de Mario Bava em DVD.



Curso online
GIALLO: SUSPENSE À ITALIANA
de Fernando Brito


Datas
10 e 11 / Julho
(sábado e domingo)

Horário
14h às 16h30

Duração
2 encontros online
(carga horária: 5 horas / aula)

Material
Certificado de participação


Investimento
R$ 85,00 (parcelado em até 12x)

..PROMOÇÃO..
Valor Especial para as primeiras 10 inscrições c/ 18% de desconto:
Apenas R$ 70,00
*** Esgotado ***


Informações
cineum@cineum.com.br / Fone: (51) 99320-2714






Realização




terça-feira, 11 de maio de 2021

Alfred Hitchcock





Apresentação

Sir Alfred Joseph Hitchcock (Londres, 13 de agosto de 1899 — Los Angeles, 29 de abril de 1980), diretor e produtor cinematográfico britânico, é amplamente considerado um dos mais reverenciados e influentes cineastas de todos os tempos, Hitchcock foi eleito pelo The Telegraph o maior diretor da história da Grã-Bretanha e pela Entertainment Weekly, o maior do cinema mundial. Conhecido como o "Mestre do Suspense", dirigiu 53 longas-metragens ao longo de seis décadas de carreira. Tornou-se também famoso por conta de diversas entrevistas, das frequentes aparições em seus filmes e da apresentação do programa da TV Alfred Hitchcock Presents (1955 - 1965).



Alfred Hitchcock é certamente o mais popular diretor de toda a história do cinema. Seu perfil característico é reconhecido até mesmo por aqueles que jamais viram seus filmes, da mesma maneira que o mais casual dos cinéfilos é capaz de citar alguma cena memorável de um filme de Hitchcock, mesmo que nem o tenha assistido. Este é o poder inigualável da obra do realizador.

Objetivos

O trabalho do realizador inglês é o tema do Curso online ALFRED HITCHCOCK: A ARTE DE UM MESTRE, ministrado pelo jornalista, escritor e crítico de cinema CARLOS PRIMATI, que fará uma revisão de sua carreira e seus filmes, que serão analisadas a partir de seu pleno domínio da técnica cinematográfica e da linguagem narrativa, exemplos máximos do cinema clássico.



Conteúdos

Aula 1 (29/Maio)

1.1 – Resumo da carreira do diretor, seu pioneirismo na Inglaterra e a consagração em Hollywood. A técnica da montagem; noções de suspense, choque e horror. A evolução do conceito de “cinema de autor” e o papel do produtor na independência artística do cineasta. A integridade narrativa como chave interpretativa da obra de Hitchcock.


Aula 2 (30/Maio)

2.1 – A influência do teatro e as metáforas de interpretação dentro e fora do filme. A técnica do cineasta na criação da motivação dos personagens, a elaboração meticulosa do filme através de storyboards e croquis. A manipulação de olhares e o cinema como ferramenta voyeur. Medo, neuroses, culpa, pecado e castigo nos filmes do diretor.

2.2 – A personalidade dividida e a duplicidade de personagens como representações do Bem e do Mal. Fatalidade, humor, ironia e pessimismo como temas recorrentes nos finais de seus filmes. O uso do trem e de cenários turísticos na narrativa. A moda no cinema hitchcockiano e o uso dos figurinos como simbolismo de estados de espírito.



Aula 3 (05/Junho)

3.1 – A transferência da culpa e noções gerais do anti-herói hitchcockiano. A mulher nos filmes do cineasta: a loira frígida, a mulher indomável, inatingível; a mulher moderna, sexualmente agressiva e protagonista. Gastronomia como tema hitchcockiano e a degustação do crime. A privação da liberdade e a simbologia das algemas.

3.2 – A figura da mãe dominadora e opressora nos filmes do cineasta. A desestruturação familiar e a composição incomum de casais e famílias no universo de diretor.


Aula 4 (06/Junho)

4.1 – O uso sutil da metalinguagem e o fascínio pelo cinema em filmes sobre filmes: uma revisão de A Janela Indiscreta e Um Corpo Que Cai como espelhos e reflexões sobre a criação cinematográfica e seus efeitos emocionais.

4.2 – Hitchcock, mestre da autopromoção. O respeito como autor e o êxito comercial se combinam no cineasta absoluto. Estratégias de divulgação e produtos com sua marca.



Ministrante: Carlos Primati

Jornalista, crítico, historiador e pesquisador dedicado ao cinema de horror mundial e brasileiro. Publicou artigos em livros sobre a obra do cineasta José Mojica Marins e sobre o Horror no cinema brasileiro. Colaborou no livro "Maldito", de André Barcinski e Ivan Finotti, e coproduziu a Coleção "Zé do Caixão" em DVD. Pesquisador da obra de Alfred Hitchcock com inúmeros textos, artigos e análises publicadas sobre o realizador inglês.

Colaborou com as edições especiais "O Livro do Horror" (Herói); "Super Livro dos Filmes de Ficção Científica" (Superinteressante) e "A História do Rock" (Bizz). Criou e editou a revista "Cine Monstro", o livro "Voivode: Estudos Sobre os Vampiros" e escreveu o volume sobre "Séries de TV" da Coleção "100 Respostas" (Mundo Estranho).

Já ministrou para a Cine UM os cursos "História do Cinema de Horror"; "Zé do Caixão: 50 Anos de Terror"; "Expressionismo Alemão: Uma Sinfonia de Luzes e Sombras"; "Ficção Científica dos Anos 50", "Horror no Cinema Brasileiro” e “Horror Britânico: Uma Orgia de Sangue e Pavor”.


Curso online
ALFRED HITCHCOCK
A ARTE DE UM MESTRE
de Carlos Primati


Datas
29 e 30 / Maio, 05 e 06 / Junho
(sábados e domingos)

Horário
14h às 16h30

Duração
4 encontros online
(carga horária: 10 horas / aula)

Material
Certificado de participação
Apostila

Investimento
R$ 100,00 (parcelado em até 12x)

..PROMOÇÃO..
Valor Especial para as primeiras 10 inscrições: R$ 80,00
*** Esgotado ***


Informações
cineum@cineum.com.br / Fone: (51) 99320-2714






Realização